TOTAL BRAND Design Ilimitado
Quem Somos O Parto Sem Dor O Parto Normal O Parto Cesareana Anestesia Depoimentos Bate-Papo Fotos Bibliografia Contato home História da Cesareana Escolha da Anestesia

O Parto CesareanaO Parto Cesareana

Escolha da Anestesia

A definição da técnica anestésica para cesariana depende da indicação cirúrgica, o grau de urgência, o desejo da mulher e o julgamento do anestesiologista. O mais importante é proporcionar total conforto e segurança para a mãe, produzindo o menor efeito depressivo possível para o feto.

Os métodos mais usados são a raqueanestesia e a peridural. Veja as vantagens e desvantagens de todas as técnicas.

Raquianestesia
Esta técnica é de fácil execução, com tempo de latência curto e é utilizada uma quantidade mínima de anestésico local. Causa um excelente relaxamento da musculatura abdominal, diminui o sangramento cirúrgico e deixa a mulher acordada e participativa durante a cirurgia. Além disso, apresenta baixa incidência de falhas e um pequeno custo. Porém, ela pode causar mais dor de cabeça, hipotensão arterial, náuseas e vômitos nas mulheres e o seu tempo de duração é curto.

Peridural
Neste método, o índice de hipotensão e dores de cabeça é baixo, além de possibilitar o emprego seguro de opióides e de ajuste da dose do anestésico. Já entre as desvantagens estão o tempo de latência maior, um bloqueio motor nem sempre satisfatório, e a necessidade de grandes doses de anestésico local.

Bloqueio combinado raquiperidural
O objetivo desta técnica é combinar as vantagens do bloqueio raquidiano - rápido início, excelente bloqueio motor, doses baixas do anestésico local - e as do bloqueio peridural com cateter - possibilidade de usar doses fracionadas do anestésico para atingir o local desejado, prolongar o tempo de bloqueio, permitir um efetivo controle da dor no pós-operatório e evitando as suas desvantagens. Contudo, esta técnica é mais trabalhosa do que a execução individual dos bloqueios raquidiano ou peridural e introduz, potencialmente, novos tipos de complicações, entre eles infecção no local da punção e pressão intracraniana elevada. Nas pacientes com problemas no coração, a aplicação deste método precisa ser cuidadosamente avaliado.

Anestesia Geral
A anestesia geral foi a técnica de escolha pra a realização cesarianas até o início dos anos 1970 em vários centros obstétricos, mas foi sendo substituída pelos bloqueios espinhais. Ela apresenta algumas vantagens em relação aos bloqueios, como indução mais rápida e produção de menos hipotensão, mas, devido à possibilidade de aspiração do conteúdo gástrico, com sérias repercussões à gestante, este procedimento foi praticamente transformado em técnica de exceção. Ela deve ser realizada somente nas contra-indicações dos bloqueios espinhais, como, por exemplo, diante de graves quadros hemorrágicos e em algumas cardiopatias. A anestesia geral, quando corretamente indicada e executada, constitui um valioso recurso que contribui para a diminuição da mortalidade materno-fetal, mas não justifica sua utilização como técnica de rotina.

Voltar